Páginas

Total de visualizações de página

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

VOSTOK: Ep.#12 "O Tchekista" (Vladmir Zazúbrin)



Quando recebeu o Prêmio Nobel de literatura, em 1987, Iossif Brodski foi entrevistado pela televisão sueca. A pergunta sobre a publicação na URSS de autores que antes estavam proibidos, respondeu: "O povo recupera a sua literatura e a sua cultura, que lhe haviam sido roubadas a décadas. Mas não acho que devamos sentir gratidão por isso, do mesmo modo que não há motivo para agradecer a um ladrão que nos restitua as nossas coisas"

O Romance de Vladímir Zazúbrin, escritor siberiano, faz parte das centenas de obras que foram restituídas aos leitores.

O Tchekista (1923) é um dos primeiros testemunhos literários sobre a natureza do poder soviético e um relato atroz de uma máquina de terror oleada pelo sangue humano.Texto de uma violência asfixiante e com um assombroso poder de evocação, O Tchekista foi considerada um obra inconveniente por descrever de forma supremamente realista os crimes soviéticos. Essa novela, foi achada por acaso na Biblioteca de Lênin, no ano de 1987. Dois anos depois teve sua primeira edição lançada.

Escritor siberiano, Vladímir Zazúbrin (1895-1938) esteve desde cedo ligado à oposição ao regime czarista, dirigindo semanários políticos de província e difundindo panfletos políticos, a coberto de profissões burocráticas, um disfarce para actividades revolucionárias. Foi um dos mentores da União Siberiana de Escritores, tendo sido preso e fuzilado no auge da repressão estalinista.